sexta-feira, 3 de junho de 2011

Arcano 11 – A FORÇA: O infinito é supremo




O poder de realização e prazer da carta A Força é tão formidável que chegamos a pensar que não nos pertence, pois esse arcano define o princípio da crença em si mesmo. Na sombra de nossa consciência é comum a falta de auto-estima e outros diversos bloqueios, eu não posso, eu não consigo, eu sou fraco... Como nos enganamos ao expressar equivocadamente esses sentimentos em relação à nossa capacidade de reagir e de superar os próprios limites, reflexo de uma espiritualidade ainda obscura.

O domínio de nossos delírios de alma atinge o seu coroamento na energia infinita e suprema da carta A Força, a nos dizer que a nossa fonte nunca seca, desde que busquemos a sua ligação ou interação constante com o universo que é a grande energia divina dentro de nós. Por isso que na sabedoria antiga do Tarô de Marselha, pela ilustração do baralho de Nei Naiff, observamos que essa carta contém a lemniscata, o símbolo do infinito, modelando o chapéu de uma mulher bonita e controlada que com delicadeza abre a boca de um leão a ela submisso.

Toda essa riqueza simbólica traduz inteligência e virtude moral, significando que o magnetismo e a luz interior que nos abastece nunca se apaga, só precisamos fazer conexão íntima com a nossa origem vital, que nos serve de base e de sustentação para a evolução pessoal.

A carta A Força é outra lição moral esquecida, pois nós nos habituamos a dimensionar nossos instintos mais do que as nossas potencialidades, daí mergulhamos em um oceano de incertezas a agitar o nosso desânimo e fragilidade. O homem contemporâneo vive em desespero com suas neuroses, somando preocupações e multiplicando a sua natureza animal. Assim, a vibração da carta a Força é tudo o que o homem precisa para se nivelar com a sua essência divina e não sucumbir em seu próprio ego.

Quando nos debruçarmos sobre o nosso leão adormecido, é importante que tenhamos confiança excessiva na superioridade da chama vital que habita em nós, pois é esse fogo sagrado que irá queimar o orgulho e a estupidez de nossos gestos impensados, transformando em carinho e sutileza o despertar dessa fera. Este é o mistério que ainda não desvendamos completamente, obcecados pelo medo, a insegurança e o impulso inferior inerentes à bestialidade humana.

A Força não é somente um estado de alma, nem tampouco a coragem para transpormos barreiras, mas é também, uma filosofia de vida, em que optamos por estabelecer relacionamentos saudáveis, prósperos e valorosos, tendo como norte os pensamentos elevados que nos guiam e nos dão a segurança para lutar e vencer. 

4 comentários:

Arierom disse...

Tarô é Luz,

alguns anos atrás, durante um tempo, a carta d'A Força foi meu Arcano de meditação.

Interessante agora, ao ler seu artigo, encontrar as entrelinhas de minhas meditações. Detalhes que me ajudaram muito naquela fase.

Belo artigo!

Emanuel disse...

Achei muito bacana a sua explanação. Lembrou muito a iconografia do Tarô das Bruxas, da Ellen Cannon Reed (Pensamento). Se não o conhece, acho que vai gostar dele.
Forte abraço!

Tarô é Luz disse...

Agradeço-lhes de coração as palavras motivadoras. Certamente que irei buscar o tarô das bruxas,para alargar meus conhecimentos oraculares. Abraços de luz!

Edy De Lucca disse...

Lindo e inspiradorklea!
valeu!