sexta-feira, 20 de fevereiro de 2009

A Ética no Tarô

  • Analisar em que plano se insere a questão formulada: material, mental, sentimental ou espiritual;
  • Ser fiel intérprete da simbologia das cartas;
  • Aplicar um método para a tiragem das cartas, com uma abordagem voltada para a orientação, o aconselhamento e a divinação;
  • Nunca revelar o conteúdo do jogo de um consulente a outra pessoa;
  • Nunca falar de tragédias, mortes e outras fatalidades, mas usar o tarô como instrumento de consolo, esperança, força, fé, coragem e otimismo.

Amanhã será sempre outro dia!

Nenhum comentário: